sexta-feira, 1 de julho de 2011

O amor é cego?

É o que pretende explicar essa reportagem, que um amigo me enviou me dizendo que está começando a acreditar no amor. Nela, um neurocientista explica o que acontece na nossa cabeça quando amamos. Ele diz que uma certa parte de cérebro é ativada, a que está ligada ao sentimento. E ao mesmo tempo, uma outra é desativada, que é a que está ligada ao raciocínio, o que então explicaria a máxima o amor é cego.

Bom, esse cara deve entender muito bem de neurociência, cérebro, ativações e desativações de tudo enquanto é neurônio, etc. Mas de amor acho que ele tá por fora! Desconfio que ele esteja querendo dizer sobre o que acontece na nossa cabeça quando estamos apaixonados. Porque sim, eu concordo que todo ser apaixonado fica com o raciocínio meio prejudicado. Mas amor... ah, o amor é outra coisa. 

O amor é você saber direitinho que o cara tem defeitos, além de todas aquelas qualidades que você conheceu quando se apaixonou, mas, ainda sim, preservar aquele brilho nos olhos da primeira vez. O amor é você entender que nem sempre ele vai te dizer sim e vai poder fazer as coisas exatamente como você quer, mas continuar tendo nele sua melhor companhia. O amor é você não precisar vestir a sua fantasia de mulher perfeita e se deixar ter um ataque besta de ciúmes, que fará vocês dois rirem muito depois. O amor é uma escolha. É escolher ficar ao lado daquela pessoa porque ela - inteira, completa, com defeitos e qualidades - te faz bem. 

E nesse momento você está raciocinando o suficiente para entender que em todo mundo existe algum defeito. E se você realmente quer essa pessoa com você, não tem como viver com a pessoa sem os defeitos. É um pacote completo. Você decide se vale a pena ou não. Portanto, pra mim, o amor enxerga muito bem.

6 comentários:

Insolente disse...

Concordo. O amor é mais inteligente um pouco, graças a Deus...afinal de contas, é preciso que haja realismo depois daquele furacão cego e sem sentido.

Michele disse...

Concordo com você Carol! O amor não tem nada de cego. O amor é paciente e principalmente teimoso. Porque mesmo que a gente perceba esses defeitos e por mais que eles nos incomodem, a gente insiste e teima em fazer acontecer! Quando vale a pena, se bobear até mesmo aprendemos com essas diferenças todas!

Um beijo grande!

Elaine disse...

Ah sim, concordo, amor enxerga sim e aceita.
bjs, Carol.

Paulinha disse...

Que lindo, Carol! E sabe que eu concordo com vc... afinal não existe perfeição, né?! =**

Dai disse...

É,a paixão se faz de cega porque há outros interesses, é o desejo encabeçando tudo e mandando ver. A paixão é cega porque só vê o reflexo da própria vontade.

O amor é como vc disse, a gente ama APESAR DE, e muitas vezes até racionaliza demais, né? Fica ponderando demais, insistindo demais, pondo as qualidades na balança e dizendo: os defeitos valem menos, os defeitos valem menos...rs

O amor até precisa de um óculos de descanso, às vezes, mas cego, cego não é.

beijo

Carolina disse...

Ótimo, Dai!

Um óculos de descanso seria perfeito.

:)