terça-feira, 21 de junho de 2011

Rita de Cássia

A Rita matou nosso amor
De vingança
Nem herança deixou
 
Não levou um tostão
Porque não tinha não
Mas causou perdas e danos
 
Levou os meus planos
Meus pobres enganos
Os meus vinte anos
O meu coração
 
E além de tudo
Me deixou mudo
Um violão

A Rita - Chico Buarque

Foi ela quem me ensinou a escrever. Era ela quem me arrumava toda, me vestia de princesa com vestidos engomados e insistia em enfeitar meus cabelos arrepiados com lacinhos de cetim. Foi ela quem me ensinou a ler. Eu gosto tanto de ouvir dela as minhas estórias de criança, das minhas poucas desobediências e dos seus mimos, infinitos e desmedidos. Ela é a tia Rita, que também é mãe, além de ser madrinha - mamãe-titia

Fomos cúmplices e dividimos segredos sem precisar de palavras para nos entendermos. Eu me lembro dela quando penso em carnaval. Porque ela fez sem saber, a alegria dos meus primeiros e até os meus últimos, eu sei que terei nela a inspiração pra me fantasiar e desfrutar dessa "alegria fulgaz". 

Foi através dela que eu conheci meu primeiro namorado, com quem rolou o primeiro beijo. Foi ela quem me deu meu primeiro sutiã. Foi com ela que eu aprendi a escrever segredos em uma agenda - e foi ela quem me deu a minha primeira. Foi ela também quem me deu minha primeira cartela de anticoncepcional e me ajudou a esconder o segredo da minha mãe.

E se eu for falar o quanto ela é especial pra mim e citar todos os momentos em que ela foi fundamental na minha vida - desde o meu nascimento - vou acabar contando aqui minha vida inteira, porque ela fez (e continuará fazendo, espero) parte de todos os passos que eu dei. Esteve ao meu lado, me inspirando, em todos os momentos de transição, principalmente. E eu tenho certeza de que sempre torceu pela minha felicidade. Sem nunca ter me cobrado nada, sem nunca ter me atirado nenhuma pedra. E é por isso que eu me recuo quando penso em lhe atirar alguma, mesmo quando a vontade é grande. 

Me orgulho de suas transformações positivas e sei que ela pode ser ainda melhor a cada dia. E continuará sempre, sendo a minha inspiração. Mesmo hoje não estando mais tão próximas fisicamente, sei que tenho nela uma amiga especial e verdadeira, um carinho sincero e ela pode encontrar em mim uma amiga, afilhada, sobrinha e eterna fã. 

Parabéns pelo seu aniversário, tia Rita!
Te adooooro!

5 comentários:

mohsiqueira disse...

Lindo Carol, sua homenagempara a Tia Rita (rs) ela vai se orgulhar muito de le isso......bjus......
e Parabéns para Tia Rita!!!!!

Glau Ribeiro disse...

Tiamãe né? Tem várias espalhadas por aí. Ainda bem =)

Obrigada pelo comentário, Carol. Bem vinda sempre na varanda!

Beijo!

Tia Rita disse...

Eu queria fazer um comentário à altura desse texto-declaração-presente,mas não encontro palavras que definam o sentimento que me invadiu ao ler essas palavras...Chorei...sim,lágrimas de verdade,mas de sentimento profundo de amor...um amor incondicional que sinto por essa filha do meu coração,uma filha que,como dizem meus filhos verdadeiros,ou melhor,biológicos,"seja mais filha e mais amada que nós dois!"...E o pior é que talvez seja verdade essa fala deles!Não sei como explicar isso,mas é assim mesmo!Rssss....Ficou confuso,né?Melhor nem tentar explicar,senão fica mais confuso ainda
É isso,prefiro dizer apenas um muito obrigada e um "doiocê"...do fundo do coração...

Alexandre Fernandes disse...

Nossa, que homenagem bonita. Cheia de sentimento. Muito admirável este texto para sua tia falando o quanto ela foi e ainda é importante.

Encantador.

Beijo doce Carol!
te cuida!

Késia Maximiano disse...

Tem gente q nos ensina a viver né?
Adorei!
Beijos