terça-feira, 5 de julho de 2011

amante em crise

é que eu sou dessas metidas a independentes, dona do meu próprio nariz, não gosto de dever obrigação e nem de dar satisfação a ninguém. se eu quero ir, eu vou. se eu quero fazer, eu faço. se eu quero comprar, eu compro. e não estou muito acostumada a ouvir não. costumo convencer as pessoas de que tenho razão e, quando sei que não há chance de convencimento (quando encontro alguém mais durão que eu) nem tento, pra não me decepcionar mesmo.

e aí de repente eu me vejo em segunda opção pra eu mesma. mais ou menos assim: ah, tem uma peça bacana em cartaz esse fim-de-semana; hum... aquele cara que eu adoro vai tocar na sexta; sábado que vem minha amiga vai comemorar o aniversário em uma boite. maaas... não dá, porque tem show dele. ou porque ele tem que ensaiar. ou porque ele tem que dar aula no sábado. ele, ele, ele

então fica assim. aquela peça fica pra próxima, nem deveria ser tão legal assim. aquele show, eu vejo em uma outra oportunidade, ou compro o CD, né? e o aniversário da amiga, ah, ela vai entender, ela é minha amiga.
e o mais irônico, é que falando mais ou menos sobre esse assunto, ele me lembra de que é porque eu quero

pois é, é porque eu quero!

8 comentários:

Pablo Osório disse...

:(

Elaine disse...

Então ele é sua melhor opção! Isso é bom!

mohsiqueira disse...

rsrsrss

Fernand's disse...

se púdéssemos, nos dividiríamos em 30!


rsrs

bjsmeus

Alexandre Fernandes disse...

O importante é ter escolha.
E ser capaz de escolher.

Beijos!

Luna Sanchez disse...

Então tá tudo certo, é escolha, é opção. ;)

Beijos!

luá. disse...

que mude tudo, que mude sempre! nada de deve, nada te prende.
e se um outro é o mundo todo, que bom que eu escrevo pro mundo, e não pra mim.

Atitude: substantivo feminino. disse...

Concordo com o Alexandre.
O importante é poder escolher.
Se essa é no fundo a sua vontade..então formô!