sábado, 19 de junho de 2010

saudade dói

muito, mesmo! e doeu muito hoje. tenho tido vontades loucas de escrever, quando estou dentro da van que me leva, todos os dias, de Mariana a Ouro Preto, depois que saio da aula. eu volto pensando nas coisas. geralmente nas quartas e quintas penso no charme dos meus professores desses dias, que me encantam tanto. professores têm o dom de me seduzir. às vezes (muitas vezes) sonho com meu futuro desenhado. uma kitnet ou um apartemento pequeno e aconchegante em BH, o trabalho novo, a faculdade nova. tudo novo: móveis, panelas, talheres, pratos, roupas, perspectivas, sonhos. alguns sonhos, mais antigos, com cerca de 17 ou 18 anos de existência. é, desde criança eu quis ser "independente". não sei de onde tirei isso, mas o fato é que esse desejo continua aqui. e acho que é uma das coisas mais complexas da minha vida. eu sempre quis e contin uao querendo ser assim, independente. mas no caminho fui encontrando apegos, me agarrando a coisas e coisas. umas mais fortes, outras mais leves, das quais consegui me soltar. ao mesmo tempo que me aproximo dessa tão desejada independência, me distancio também.
mas queria contar que estava com saudades demais, daqui. de escrever qualquer coisa, que fosse. e não foi falta de vontade. nem de tempo. eu ando apertada sim, mas sempre acho tempo pra fazer o que tô com vontade.
novidades?
continuo irresponsável. continuo sonhadora. continuo boba. continuo estressada. continuo louca. e cada vez mais apaixonada.
e deixo um beijo pra todos que me lêem!

5 comentários:

Gabriela F. disse...

saudades é ruim né?
ah professores, me encantam tbm!
e vamos lá, que conseguimos a tão sonhada independencia
beijos

Luna Sanchez disse...

E eu sinto saudades de ti, lindeza! ^^

Beijos, tenha uma semana linda, tá?

ℓυηα

André Luiz disse...

que bom que gostou, carol! te ler me fez sentir vontade de viver um monte de coisas ainda não vividas, o 'tudo novo de novo'. sentimento delicioso esse de tudo outra vez, principalmente com esse gostinho lindo de liberdade. aproveita pra voar, menina.. um beijo!

Alexandre Fernandes disse...

Você continua você. Com todas essas tuas características que te fazem ser o ser humano que é, maravilhosa. É a sonhadora, a boba, a menina, a mulher, a apaixonada.

E isso é o mais importante.

E saudade doi mesmo. Mas nada do que um reencontro com as coisas para matar a saudade. Com estilo né. Quando matamos ela, sequer lembramos que um dia tivemos isso. E sentir isso se torna mais intenso.

Falando nisso, saudade de tu.

=)

Jaya Magalhães disse...

Chegando aqui hoje, eu não sei deixar de lembrar o dia em que te conheci. A moça do coração alado. Saí lendo teu blog de "cabo a rabo". As histórias de OP, o "rei", e a nossa semelhança em relação às vontades, pretensões, maneira de ver o mundo, levar a vida, sonhar.

E eu lembrei disso tudo porque, outra vez, eu te vi relatando meus anseios. Essa busca pela independência. Essa vontade de querer a eficácia urgente dos planos futuros. A sensibilidade. E a escrita travada, nos últimos tempos, apesar do querer escrever.

Continue você, o tempo inteiro. Eu acompanho daqui.

Um beijo enorme, Cá.