segunda-feira, 3 de maio de 2010

Almeida

Almeida é o lado que eu chamo de família. porque Lacerda, de tanta bagunça, infelizmente não pode ser bem assim, apesar de família ser estranho mesmo, né? mas Almeida é de verdade. lá, aos domingos, quando todos os tios e primos estão juntos pro almoço e a mesa está recheada de coisas deliciosas e feitas com tanto amor, a gente dá as mãos e reza. quando meu avô era vivo, ele dizia umas palavras. e todos nós apertávamos as mãos uns dos outros, compartilhando de uma união que nem todos os quilômetros de estrada nos separam. agora, cada vez é um. e meu pai, quando fala, sei que sente o mesmo nó na guela que eu. e eu seguro as lágrimas, porque tenho vergonha. mas guardo cada um desses momentos como aprendizado. quero levar meus filhos lá. quero que eles sintam o mesmo que eu sinto desde pequena, no contato de sangue e de amor.
e lá todo dia é festa. cerveja não falta. nem música boa. foi lá que eu aprendi a gostar de um tanto de música boa. com meu pai, claro.
no último natal, eu me emocionei. não dá pra explicar, mas mesmo não estando presente na maior parte do tempo, quando estou lá me sinto parte daquela energia boa. as pessoas se amam, se respeitam acima de tudo. se valororizam pelo que são. e querem o melhor pra todos, sem distinção. o abraço da vó Lica é tão sincero. e o sorriso, o beijo no rosto. é só amor. muito amor.
e nesse fim-de-semana, fui visitar um primo em BH. um que é como se fosse o irmão mais velho que não tive. e foi família, mesmo. o tempo passou rápido e cada momento me fez tão bem. curtimos um samba num boteco. tomamaos cerveja juntos. rimos, dançamos. falamos do Timão. lembramos do meu pai e deu muita saudade.
com eles eu aprendi que é bom ser honesto. que quem acorda cedo e rala o dia todo pra ganhar o pão de cada dia, é que tem valor. que contar com Deus e ter fé, é confortante. é o que nos dá força todos os dias. que a saudade machuca, mas o amor que une uma família é mais importante e muito maior que qualquer estrada.
talvez seja meu vô Batista, que lá do céu nos une sempre. e faz a sementinha do amor que ele plantou dentro de cada um, crescer e dar frutos.

Almeida é o meu orgulho.

13 comentários:

rita disse...

Nossa,Carol!Que lindo!!!
Apesar do meu LACERDA,concordo plenamente com
vc.Nossa família não é mesmo exemplo algum,muito menos de união...
Viva seu lado ALMEIDA,meu bem,mas viva-o intensamente,sentindo cada detalhe que te deixa tão orgulhosa de ser uma deles...
AMO VC...MUITO...

Michele disse...

Graças a Deus tivemos essas pessoas tão especiais em nossas vidas para nos ensinar o que é SER família! Esses valores nós nunca esquecemos. Pelo contrário: passamos de geração em geração!


Um beijo!
Boa semana, lindona!

Gabriela F. disse...

Olhaaa, eu tbm sou Almeida! *-*

"não dá pra explicar, mas mesmo não estando presente na maior parte do tempo, quando estou lá me sinto parte daquela energia boa. as pessoas se amam, se respeitam acima de tudo. se valororizam pelo que são. e querem o melhor pra todos, sem distinção." , descreveu o que é família!
beijos

Luna Sanchez disse...

Comecei a chorar na terceira linha, estou à flor da pele!

Que lindo, Carol, que gostoso, que bonito! Parabéns por poder desfrutar disso. ^^

Beijo, beijo.

ℓυηα

Déia disse...

Que delícia!
Que jeito de família feliz, com todos os prós e contras esperados, né?
As vezes tenho vontade de ter família grande que se reune aos domingos, pra almoçar e se amar!

bj

Camila Paier disse...

Olá, garota! Fiquei feliz com seu comentário lá no blog..E que texto lindo! Que orgulho bom da sua família, do seu sobrenome. Acho digno! hahaha
Família é a bagunça da qual a gente nunca cansa de voltar.
Beijoca flor!

Michele disse...

Sinto muito pelo pintinho esmagado, Carol!
Todos temos umas histórias dessas pra contar! haha


Beijos, boa noite lindona!

André Luiz disse...

Nome de glória, Almeida, e você fazendo juz às origens sentimentais das terrinhas bonitas de portugal..

Simone disse...

Privilegiados somos nós, de fazermos parte desta família Almeida.Que energia boa, que paz nos traz... Sinto em não estar mais perto e aproveitar mais vezes desses momentos na casa da vó Lica. O bom é que eles são eternos e enraizam-se em nossa lembranças, desde as mais antigas delas.
Beijos Prima!!

Luciana disse...

Nossa menina... Vc conseguiu expressar com tanto sentimento este momentos, que na segunda linha já estava com o nó na guela que vc falou. Mas quando mencionou o abraço sincero da vó Lica, confesso que não aguentei. Chorei mesmo, não deu pra segurar. Que bom que vc compartilhou com a gente tanta riquea de sentimentos. Que o Divino Espírito sempre ilumine a sua vida. Beijão

Aloisio disse...

bem... Carol, acho que estou com o nó na garganta dos discursos antes dos almoços na casa da vó Lica!!!!
Agradeço a Deus, todos os dias, por fazer parte da Família Almeida! E olha que nem tudo são flores... mas só quem participar de um de nossos encontros familiares sente o que sentimos. Este amor carinho e "união que nem todos os quilômetros de estrada nos separam", e quantos estão distantes, mas qdo nos encontramos é o mesmo sentimento.
Lendo este texto é impossível não lembrar do Mestre Véio Batista e seus ensinamentos. E não se emocionar só de lembrar do sorriso no rosto da Vó Lica com os braços abertos para nos receber.
Qunto a ti, Carol... vc sabe o quanto é especial para mim! Sou um grande fã, e me orgulho de ter uma amiga, prima e irmã como vc!
Abraços!!!
ALMEIDA é o nosso orgulho!!!

DMLS... Sheilá... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DMLS... Sheilá... disse...

Não tem como não se emocionar com teu relato da família Almeida... Ainda mais que agora sou, não de sangue, mas de coração. Almeida. Realmente é maravilhoso o sentimento família, os momentos família. O Abraço da Vó Lica! Perfeito! Grande beijo Carol!!!