sexta-feira, 16 de março de 2012

Velha e Louca

16 de março. 08:47 da manhã. Cena 1:

De frente pro espelho:

- 25 anos. Nossa, como isso é velho.
- Não, fala sério! Quantos anos você tem??
-25. 


É, fiquei velha. 25 anos. Não sou mais menina. Se eu usar uma blusa da Hello Kitty fico parecendo uma tia sem noção. Ah, e eu já sou tia mesmo, de verdade! Mas quer saber? ADORO ser tia. 

Já posso usar creme anti-rugas, salto alto, roupa de trabalho e batom vermelho. Tô velha. Vejo as menininhas de 18, 19 anos e, apesar de rolar uma pontinha de inveja da falta de preocupação delas diante da vida, morro de rir. Penso: vocês são tão ingênuas... 

Ingênua sou eu, que só porque fiz 25 anos tô me achando. Tô me achando mesmo! Tô gostosa, linda e... louca! 

Cantemos com a Mallu:

5 comentários:

Elaine disse...

Carol, meus parabéns! Eu já tive 25 anos. Ah, meus 25 anos! rsrs
Tudo de bom pra você, sua ingênua! hahaha

Marcio Etiane disse...

Sabe, por mais que eu tente não consigo deixar de ficar perplexo com esse tipo de "comentário". Como pode alguem com apenas 25 anos de idade - considerando-se que hoje a expectativa de vida gira em torno dos 85 - se achar velha???
Mais um reflexo de nossa sociedade, que impoe modelos sem critério algum.
Se voce disse que sentir-se "velha" corresponde ao fato de que a "ficha caiu"( como diriam o mais velhos ainda) e que voce percebeu que já não é mais uma adolescente, e até entendo.
Mas velha ?
Velha para quê ?
Velha EM Relação a quê ?

E ainda que ser "velha" aos 25 anos de idade fosse algo irrefutável a absoluto, ainda assim eu perguntaria e daí ?

Ainda que segundo os físicos modernos o tempo não exista, existindo apenas a percepção humana (ilusória) da passagem do tempo, certas coisas só "tempo" ensina.

Só o tempo ensina que o que envelhece são nossos conceitos e nosso autoconceito, caso não nos aaptemos.
Só o tempo ensina que mesmo com 100 anos vividos é possível manter-se jovial, com a mesma alegria de viver que tinhamos aos 10 ou 12 anos.
Basta ter autoconfiança suficiente para dizer ao mundo que ele não pode nos impor conceitos e que na verdae o que importa é manter sempre viva alegria de viver que tinhamos até que começassem a nos dizer que era hora de crescer ...

Frau Forster disse...

Ontem abracei minha mãe e disse:

- Nossa, um quarto de século... E eu ainda não sei nada.

E dei risada.

Acho que é bem por aí mesmo, Carol :)

Adorei!

Mil beijos

Carolina disse...

Não sabemos nada, Frau! Mas há tanta vontade de saber...

:)

Gabriela Furtado disse...

A-D-O-R-E-I!
Beijooos