sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Encurralada

Ouvindo essa música linda: Dançando, Agridoce.




Às vezes a gente foge. Inventa, canta, se maqueia e sai pra dançar. Usa aquele vestido florido, sobe em cima daquele salto, pinta um sorriso de batom cor-de-rosa nos lábios e vai. E a gente sai andando, colhe algumas flores no caminho, pisca junto com algumas borboletas e chega até a ver algum arco-íris. No meio da rua, andando no meio de tanta gente, a gente nem chega a se sentir mais um. Tem hora, que a sensação é de ser menos um. E eu não sei porque, mas no começo de uma madrugada, rodeada de ausências e ouvindo uma música que me toca, fica difícil fugir. E é aí que uma insistente lágrima teima em rolar.

10 comentários:

Luna Sanchez disse...

É, meu bem : trata-se do tal encontro marcado com o vazio, esse vazio cheio de porquês que a gente carrega no peito e que, cedo ou tarde, transborda.

=*

Jaya Magalhães disse...

Comecei a ler fazendo cena de tudo, cheguei até a sorrir. Vivi os detalhes conforme as palavras foram aparecendo. No final, de tão envolvida, senti um aperto.

Algumas noites são mais longas, mais pesadas. A gente chove. Mas ainda bem que existe o dia seguinte. Existe sol. O que molhou vira jardim.

Flores, Cá.

Beijoca.

Frau Forster disse...

É por que a vida é agridoce? =)

Sei bem do que você está falando: nem sempre a gente acerta as equações - e nem sempre elas nos satisfazem.

Mil beijos

Dai disse...

Sei lá, tem horas que a gente se estremece mesmo tem ter motivo pra isso. É mta sensibilidade.

bjo

Michele disse...

Pois é, querida... às vezes não adianta a gente mascarar o vazio que pulsa por dentro do peito. Basta algo que nos lembre da dor e pronto: ele denuncia a sua constante presença que a gente teimava em disfarçar...

De qualquer modo, lindo o seu texto!

Um beijo!

Lívia. disse...

Às vezes tudo o que precisa acontecer pra tudo passar, e o ciclo voltar a funcionar, é mesmo chover. E por mais doloroso que seja, é necessário. E por experiência própria.. Deixa chover, porque lava a alma, e depois quando o sol voltar, vista o salto alto !

Beijo, e venho sempre!

Lívia. disse...

Pois é, Carolina!
Essa sensação "se melhorar estraga" também é muito boa, significa que o namoro está em sintonia. Já passei por ela, e realmente, a vontade de juntar as escovas de dente vem com o tempo de cada um. A minha demorou uns 4 anos, antes a minha sensação era aquela "se melhorar estraga" (rsr)!

Mas aproveite mesmo, cada segundinho do seu namoro, porque é precioso!

Beijo grande..

Gurias Arretadas disse...

Façamos como sempre, já que nós mulheres podemos, e coloquemos tudo nas costas da TPM.

Mas creia, tu não é a única que vive com essas mudanças extremas de humor.

=)

E cá estou eu de novo com o perfil do GA... Com sorte consigo passar com o meu ainda hoje pelo blog coletivo do qual tu faz parte. Ah, e dê uma olhada no GA se gosta de livros, estamos sorteando seis por lá!

Beijo,

Ana Seerig

Gabriela Furtado disse...

As vezes é bom a gente deixar essa fujona escapar.
Beijos

Elaine disse...

E que mulher nunca viveu algo assim?!