quarta-feira, 4 de agosto de 2010

esses dias

são dias em que eu acordo na hora, mas chego atrasada. dias em que meu cabelo está sempre estranho. minha pele, nem falo nada.
dias em que o apetite é grande. imenso. comida é a palavra que não sai da minha cabeça. hoje comi de tudo: desde maçã, salada coloridinha no almoço (sem coca-cola) até cheese-bacon (com coca-cola, claro!) no jantar, passando por um chocolate Nestlé Moça, durante a novela das 6.
isso porque eu voltei pra casa planejando trocar a novela das 6 por uma corridinha no estacionamento da UFOP. é, aqui em Ouro Preto só tem morro. o único lugar pra caminhar/correr é um estacionamento médio, tipo uma praça.
o banho, foi ao som de Muse, e eu sonhando em um dia cantar assim numa banda de rock. calçar botas pretas de couro, um vestido coladinho no corpo e uma voz rouca gritando: give me your heart and your soul. entre olhares de poder pro baixista e jogadas de cabelo estratégicas pra chamar a atenção do vocalista/guitarrista. detalhe: eu cantaria mascarada, pra ninguém saber que era eu. não, não tenho fantasias sexuais. mas coleciono todos os outros tipos de fantasias que possam existir.
esses dias a minha cabeça não pára. penso na rotina, nos horários, nas contas, nas notas, no que falta pra estudar, no fim-de-semana, no que vou comer daqui a 15 minutos, na faxina, nas roupas pra lavar, na bolsa pra consertar, no cabelo pra cortar, na unha pra arrumar, no concurso, no namorado, na mãe, no dia dos pais, na Ana Maria Braga, na carona de sexta pra casa, nas eleições, na decisão da Copa do Brasil, na gatinha da tia Rita que tá grávida, etc. e no fim, não chego a lugar nenhum além do próximo chocolate.
esses dias, eu penso em você com saudade. tenho vontade de te ligar e dizer que estou apaixonada. tenho vontade de escrever cartas e cantar pra você todas as canções do Erasmo. aliás, acabei descobrir que o Erasmo é foda! quando eu for cantora, vou gravar um disco só com música dele.
hormônios saltitantes. feminilidade.
agora vou dormir, ouvindo Erasmo, meu novo ídolo.

2 comentários:

DMLS... Sheilá... disse...

Esses dias... realmente são dias em que a vontade de escrever e derramar palavras nos alimenta, certo?!

Alexandre Fernandes disse...

Tem dias que a emoção fica assim ressaltada. A gente sente, nota esse burburinho tão inocente que nos orienta a explorar as sensações. Tá no coração toda essa vontade de se abrir, de se jogar com tudo nas delicadezas que a vida nos dá. Pensamos em tudo, sentimos tudo. E tudo parece pouco perto do que queremos, do que ansiamos.

São dias em que apenas somos enfáticos na nossa condição de ser humano.

=)

Beijos.